Desrespeito com o próximo: Empresários e feirantes ajudam a propagar o vírus Covid-19

março 24, 2020 0

Desde as ações proibitivas, no qual o governo do Maranhão, ter decretado no sábado (21, durante uma entrevista coletiva no Palácio dos Leões, em São Luís, acerca das interrupções das atividades comerciais de um modo geral, como medida de evitar aglomeração de pessoas para prevenir o surto do novo Coronavírus, ou seja, o Covid-19, há empresários e feirantes, que estão desobedecendo as ordens de interromper suas atividades.

Uma destas ações desrespeitosas é a feira “à céu aberto” da Cidade Operária em São Luís. Foi flagrada lotada de pessoas na manhã deste domingo (22) na capital. Sendo que diariamente, a feira encontra-se em pleno funcionamento. Em um vídeo divulgado nas redes sociais, é possível observar, que na manhã deste domingo, a feira à céu aberto do bairro da Cidade Operária, em São Luís; estava cheia de feirantes e consumidores, os quais se misturam em meio aos produtos que são vendidos ao ar livre, sem nenhum tipo de fiscalização.

De acordo com o decreto do governador Flávio Dino, apenas os órgãos públicos e atividades comerciais, que não prestam serviços essenciais, estarão paralisados. Apenas feiras, supermercados, farmácias e outros serviços indispensáveis à população podem funcionar, porém, é necessário evitar a aglomeração. De acordo com o governador Flávio Dino o principal objetivo das medidas é reduzir o número de pessoas circulando nos espaços públicos do estado em virtude do Coronavírus.

Durante a entrevista coletiva no Palácio dos Leões, o governador relatou “A função dessas medidas é diminuir a circulação de pessoas. Basicamente é isto que nós estamos visando agora. Ampliar as medidas de distanciamento social porque essa é a prevenção mais eficiente. Toda a literatura internacional nesse momento mostra que quanto mais distanciamento social das pessoas quanto possível isso determina a diminuição da curva da proliferação do Coronavírus e isso é vital para garantir a capacidade de atendimento nas redes de saúde”, disse o governador.

As cobranças valem mais que a vida do próximo


Outra empresa que já fora denunciada aos órgãos competentes, é a Elo Contact Center, localizada com unidades nos bairro do São Cristóvão e Monte Castelo. De acordo com denúncias, elas mantem os funcionários trabalhando na sua normalidade, mesmo com o decreto governamental em vigor. A empresa trabalha com centenas de funcionários, trabalhando lado a lado, exercendo os atendimentos.
A empresa já fora visitada por uma equipe de autoridades, sendo orientada e recebeu até recomendações. Mas até o momento, ainda não se soube o que fora acertado.

Mais denúncias e desrespeito à vida

As denúncias não param por ai. Outra situação grave, seria a Igreja da Calábria, localizado entre a Cidade Operária e o Jardim América. Os cultos continuam em sua, totalidade e normalidade, como se o decreto do governador, em defesa à saúde das pessoas, não fosse respeitado.

É preciso que as pessoas, independente de empresários, religiosos, donos de bares e demais, tenham respeito com a vida humana. O contágio para como Covid-19, só terá o achatamento da sua curvatura de contaminação, com o respeito à quarentena.

Estamos à disposição para recebermos alguma nota, e assim, publicarmos, caso alguém queira se justificar.

Fonte: Portalimaranhão e o blog

0 Comentarios "Desrespeito com o próximo: Empresários e feirantes ajudam a propagar o vírus Covid-19"